RONDONÓPOLIS

VEREADORA EM DEFESA DO SERVIDOR

MARILDES SAI EM DEFESA DO SERVIDOR PÚBLICO NA CÂMARA DE RONDONÓPOLIS

A parlamentar ainda lembrou que está acompanhando toda o momento atual e defendeu concurso para o município. No entanto, ela ainda defendeu o diálogo entre a atual gestão e os servidores que estão em estado de greve. “Sempre digo isso, mas vou mais longe e digo que juntos somos mais fortes”, explicou a vereadora.

Publicado em

POLÍTICA

A vereadora Marildes Ferreira (PSB) saiu em defesa do servidor público de Rondonópolis, em discurso proferido na sessão desta quarta-feira (1) da Câmara de Vereadores.
Marildes que é servidora aposentada do município destacou que jamais ficaria contra a qualquer direito da categoria. “Passamos boa parte da nossa vida servindo a população, e sempre seremos a favor de melhorias para os nossos servidores”, disse a vereadora.

A parlamentar ainda lembrou que está acompanhando toda o momento atual e defendeu concurso para o município. No entanto, ela ainda defendeu o diálogo entre a atual gestão e os servidores que estão em estado de greve. “Sempre digo isso, mas vou mais longe e digo que juntos somos mais fortes”, explicou a vereadora.

Marildes disse ainda que vê com bons olhos os esforços de cada um para resolver esse problema. Ela adiantou que o prefeito deve se reunir com a categoria na segunda-feira.

DEFESA- A vereadora ainda saiu em defesa à secretaria de Governo e Esportes, Ione Rodrigues, que foi alvo de ataques na Internet. Ione teve um meme reproduzido nas redes sociais onde é atacada. “Na condição de mulher, não podemos e nem devemos aceitar isso, não é possível esse tipo exposição contra a mulher”, resumiu.

Leia Também:  Presidente eleito do Chile, Boric anuncia gabinete com maioria de mulheres

Fonte – Redação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

CFAEO promove segunda audiência sobre o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias

Publicados

em

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso realizou, na tarde desta quarta-feira (10), audiência pública para discutir o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano de 2023 (PLDO-573/2022). O debate foi conduzido pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária e contou com participação de representantes da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz/MT), sindicatos, Defensoria Pública, Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM).

A receita total líquida para o ano de 2023 prevista na PLDO é de cerca de R$ 28,6 bilhões. O secretário-adjunto da Receita Pública da Sefaz/MT, Vinícius José Simioni da Silva, explicou os indicadores e parâmetros levados em consideração para chegar ao número apresentado na peça orçamentária. Porém, a estimativa foi alvo de questionamentos de participantes que acreditam na possibilidade de excesso de arrecadação.

Segundo o secretário-adjunto do Orçamento Estadual, Ricardo Capistrano, números podem ser atualizados para apresentação do projeto de lei orçamentária, que deve chegar em setembro para apreciação da Assembleia. O representante da Sefaz ainda destacou que a PLDO-2023 cria dispositivo para medir impactos e retorno econômicos das políticas públicas feitas pelo Estado de Mato Grosso.

Leia Também:  “Boa noite, Cinderela” caso da modelo Nathalia Vianna reacende alerta.

Entre as prioridades contidas no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2023 estão manutenção de espaços educacionais, construção e reforma de estabelecimentos assistenciais de saúde, implementação de programas sociais e pavimentação e conservação de rodovias e gestão da regularização ambiental de imóveis rurais.

Representantes de sindicatos do funcionalismo público estadual cobraram a realização de concursos públicos para diferentes órgãos e secretarias e o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) dos anos em que a correção não foi concedida. A falta de oferta de qualificação profissional e a efetividade da renúncia fiscal dada pelo governo também foram alvo de discussões.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

PRA ELAS

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA